Livros
0 Comentários

Ler também é ajudar

Há seis anos que a Ajudaris tem vindo a editar livros para reunir fundos que revertem a favor do seu trabalho social. Este ano, temos dois, e a ilustração abaixo, incluída num deles, é da autoria da Célia Fernandes.

 

tinimini_ajudaris2014a1

 

ajudaris

 

Os textos fora, criados por alunos de várias escolas do país e as ilustrações são, como sempre, generosamente cedidas por vários artistas portugueses. Para além do site próprio, a Ajudaris conta também, este ano, com as lojas Pingo Doce para vender os seus livros (pelo preço de cinco euros cada).

Vamos ajudar?

 

0 Comentários

Amigos do peito

amigos1

 

Neste livro, editado pela Bruáa, somos levados pela mão de um menino que mora num bairro como tantos outros. Ele quer falar-nos de amigos, amigos do peito. Para isso leva-nos pelas ruas do seu bairro, por sinal um bairro muito parecido com o nosso, onde encontramos uma escola, um bar, uma casa à esquina, um jardim, prédios…

 

amigos2

 

Mas estas ruas e casas não são a única coisas que nos parecem familiares, também a voz do menino nos soa familiar. E os amigos de quem fala parecem lembrar-nos os nossos, porque todos os temos e todos brincámos com eles num bairro qualquer, esse espaço comum que nos recorda que somos feitos de muitos amigos e sítios, e por isso algo de bom acontece quando os revemos.

 

Um texto poético de Cláudio Thebas maravilhosamente interpretado e amplificado nas belíssimas ilustrações de Violeta Lópiz.

 

Tags
0 Comentários

Apresento-vos a Handa

Agora que o tempo obriga a mais fins-de-semana caseiros, lembrei-me de vos falar de um amigo meu de longa data. Se calhar já conhecem este livro: A surpresa de Handa, de Eileen Browne. A minha amiga Sandra ofereceu-me, há uns anos, um exemplar traduzido para português, mas eu conheci-o na versão original, inglesa, que lhe ofereceram a ela quando a filha era pequenina. Um sol que nos entra pela casa adentro.

 

handa

 

É uma obra deliciosa, uma peça que apetece ter sempre à mão e que agrada a todas (mas mesmo todas) as idades. É recomendado para maiores de três anos (dos quatro aos seis, mais ou menos) mas o meu Francisco ainda não tinha nove meses e já lhe dava muita atenção.

 

Trata-se de um livro com muito poucas palavras. As imagens são verdadeiramente exuberantes e a história, em toda a sua simplicidade, arranca gargalhadas aos miúdos e dá pano para mangas a quem quiser entretê-los. E é este livro de poucas palavras que anda a ajudar crianças por todo o mundo a aprender a falar e a querer aprender a ler (cá é recomendado pelo Plano Nacional de Leitura). Deixo-vos a versão audio:

 

 

Bom fim-de-semana em família!

 

Tags
0 Comentários

Tudo é sempre outra coisa

tudo1

 

A leitura deste livro pode começar por qualquer página. Mas, se se começar pelo princípio, descobre-se que há aqui alguém que gosta de ver o que há do outro lado. E que lado é esse? Talvez o outro lado do que se vê, o outro lado do que se ouve, o outro lado do que se sente. Até o outro lado de cada palavra, que as palavras às vezes têm vários lados, como as coisas. E há prosa que parece poesia, poesia que parece prosa… Porque nem tudo é só o que parece ser.

 

tudo2

 

Uma combinação brilhante entre a escrita poética de João Pedro Mésseder e o traço delicado de Rachel Caiano. A juntar, já, já, à carta para o Pai Natal.

 

Tags
0 Comentários

Coração de mãe

Quando o meu filho tinha 6 meses, fomos todos de férias pela primeira vez. Devem ter sido as melhores férias da minha vida, só porque estava fartinha de estar enfiada em casa, tinha sido um inverno muito rigoroso, e agora era verão, estávamos na nossa praia do coração e tínhamos família e amigos ao pé de nós.

 

Uns desses amigos foram passar uns dias connosco e levaram-me esta prenda.

 

coração de mãe

mae_1

 

mae_2

 

Eu ainda estava a aprender a reconhecer o meu coração de mãe, e este belíssimo objecto da Planeta Tangerina ajudou-me a reflectir sobre o que tinham sido os últimos seis meses e o quão diferente tudo estava e tudo estaria para sempre – eu incluída.

 

É, de facto, um presente perfeito para uma recém-mamã.

Tags
0 Comentários

Histórias com números e com graça

ducla2

 

Tudo pode despertar a nossa imaginação, até os números… No livro Números com histórias, encontramos dez histórias divertidas, em que os números, do zero ao nove, são os heróis. Assinados pela mestre Luísa Ducla Soares, estes pequenos contos mostram-nos como os números não servem só para contar pelos dedos ou fazer operações matemáticas. Também fazem parte da nossa vida, e podem entrar em muitas aventuras.

 

ducla1

 

As ilustrações são da Célia Fernandes, muito cá da casa. Os mais atentos reconhecerão o traço dos Tinimini e de tantas outras plataformas em que a Célia dá asas à sua arte.

 

Uma combinação de ouro, esta!

 

Tags
0 Comentários

Hipopótamos e aristocracia

Margaret Mahly (1936 – 2012) é considerada uma das maiores escritoras de língua inglesa. Da Nova Zelândia para o mundo, os seus livros para crianças e adolescentes continuam a encantar leitores de todas as idades, geração após geração.

 

Eu conheci o seu trabalho através de um livro que a minha amiga Paula ofereceu ao meu garoto: O Rapaz dos Hipopótamos, publicado pela primeira vez em 1975 – e, já na altura, com as doces e pormenorizadas ilustrações de Steven Kellogg, que contam histórias para além da história. As fotos que se seguem fui tomá-las de empréstimo ao blogue Bichos da Matos.

 

Hipo1

 

 

 

Este livro trata de um rapaz que começa a ser seguido por hipopótamos, diariamente, cada vez em maior número. Ele vive numa mansão e os seus aristocráticos pais reagem com bastante serenidade ao insólito, porque, de facto, há pessoas que não têm cuidado nenhum com os seus hipopótamos. Até que o tanque dos peixes dourados transborda e é decidido recorrer às artes de uma bruxa para resolver a questão.

 

E ela resolve-a. Ou não?