0 Comentários

Tudo é sempre outra coisa

tudo1

 

A leitura deste livro pode começar por qualquer página. Mas, se se começar pelo princípio, descobre-se que há aqui alguém que gosta de ver o que há do outro lado. E que lado é esse? Talvez o outro lado do que se vê, o outro lado do que se ouve, o outro lado do que se sente. Até o outro lado de cada palavra, que as palavras às vezes têm vários lados, como as coisas. E há prosa que parece poesia, poesia que parece prosa… Porque nem tudo é só o que parece ser.

 

tudo2

 

Uma combinação brilhante entre a escrita poética de João Pedro Mésseder e o traço delicado de Rachel Caiano. A juntar, já, já, à carta para o Pai Natal.

 

Tags

Submeter um Comentário